Os Templários de Leira

para Noelia Gestal A Bailia –que no Nomenclátor vem sem artigo, ainda que todo o mundo o usa, dizendo-se também muito a Beilia- é umha aldeia de Leira que, polo seu afastamento da igreja paroquial, sempre tivo muito vida própria dentro da freguesia, contando com escola unitária durante muitos anos e na qual mesmo se … Continue lendo Os Templários de Leira

Anúncios

Ouveios suevos

Aldeia de Recegulfe, em Queijas

Em praticamente todos os nomes de lugar que rematam en –ulfe ou –ufe, ressoam os últimos ouveios dos suevos, já que som topónimos que se devem à antiga palavra germánica wulf ‘lobo’, e se encontram concentrados na Península Ibérica quase exclusivamente no território do antigo Reino da Galiza. O étimo resulta hoje mais do que … Continue lendo Ouveios suevos

A dignidade do País do Navo

Há em Albijói um lugar chamado Novás e ainda, na microtoponímia, umhas terras de nome o Noval entre as paróquias de Leira e Buscás. Nom está de todo claro o seu significado, pois poderiam-se referir a duas cousas diferentes. A primeira seria que o tal noval venha do latim novale, derivado de novu ‘novo’, no … Continue lendo A dignidade do País do Navo

Pam, cravos e desordens

para Patricia do Zapateiro da Portela A Portela de Leira é a aldeia vizinha de Loureda, famosa sobretudo polo pam, empadas, roscas e doces da Panadería Fontán, a antiga Casa do Zapateiro, que reparte por muitas paróquias da comarca. O topónimo, bastante frequente na área lingüística galego-portuguesa (os dous núcleos mais grandes com este nome … Continue lendo Pam, cravos e desordens