Menino do bairro negro

Lendo a correspondência carcerária de Nelson Mandela, umha palabra chama a atençom: piccanin. Aparece numha carta que escreveu Madiba a Adelaide Tambo no 31 de janeiro de 1970, e na qual o líder anti-apartheid se lembrava carinhosamente das suas companheiras de militância. A umha delas, Ruta, chama-lhe “piccanin”. Mandela escrevia num inglês salpicado de termos … Continue lendo Menino do bairro negro

Os cans da Contrarreforma

Queria saber Serxio García do topónimo de Cás, na freguesia dos Anjos, pois, como bem aponta, “é um nome curioso”. Por sorte contamos com um excelente trabalho de Antón Palacio Sánchez que, dando umha pequena volta pola história política do cristianismo, o explica rigorosamente. [1] De início há que situar-se na Europa em que a … Continue lendo Os cans da Contrarreforma

A flor do codesso

para Pedro de Codesseda Ainda que de pequenos conheciamos perfeitamente a planta do codesso (andavamos a apanhá-la porque Couselo da Portela dizia que era boa para prevenir a peste dos coelhos) sempre faziamos a brincadeira de dizer-lhe “de cu-de-seda” aos amigos de Codesseda, aldeia da freguesia de Leira. Etimologias paródicas à parte, o nome deste … Continue lendo A flor do codesso

De caçadores caçados e ursos regicidas

Aldeia de Bermui, em Bascói, Messia

Apenas há rasto toponímico do urso na Terra de Ordes, nom sendo, quiçá, umha Pena da Usa –elevaçom de 482 m. entre a freguesia de Vila de Abade e o concelho do Val do Dubra[1]- e, de maneira indireta, no lugar de Bermui, em Bascói. E é que este último topónimo deve proceder dumha (villa) … Continue lendo De caçadores caçados e ursos regicidas