O Imperador da nêvoa

O meninho Afonso Raimundes, nado apenas sete anos em Caldas de Reis, foi coroado rei da Galiza no 17 de setembro de 1111 numha cerimónia na catedral de Santiago que pretendia cenificar a coaligaçom entre os dous poderes tradicionais do país: o eclessiástico, representado polo bispo Diego Gelmírez; e o nobiliário, encarnado em Pedro Froilaz, … Continue lendo O Imperador da nêvoa

Tabernas que nom faltem!

Taberna da Casa Louro a mediados dos anos 60 em Ordes. Fotografia incluida no livro "Ordes. Crónica fotográfica do século XX", de Manuel Pazos Gómez e Daniel Pereiro López, editado por Espiral Maior no 2002

“Todo homem passou noites com amigos fascinantes em torno a umha boa mesa, quando as personalidades se abrem como flores tropicais. Cada um era mais do que nunca um próprio, cada um era umha deliciosa caricatura de si próprio. Quem tenha conhecido tais noites entenderá Pickwick; os demais nom se divertirám com ele nem, segundo … Continue lendo Tabernas que nom faltem!

Caminho da luita

Há aldeias chamadas Gosende nas freguesias de Castro, Ordes e Rodis, sem esquecer umha outra em Encrovas, engolida polo capitalismo extrativista. Ainda, contam-se muitos outros Gosendes –e variantes- por todo o território que abrangia o antigo Reino Suevo da Galiza; somentes no concelho português de Viana do Castelo, existem hoje os lugares de Gosende, Gosendes … Continue lendo Caminho da luita